Paim diz que jamais acreditou no acordo com governistas sobre reforma trabalhista Notícia postada em 12.07.2017


O senador Paulo Paim (PT-RS) disse não se sentir traído com a afirmação do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, de que não votará qualquer medida provisória que dê nova regulamentação a pontos da reforma trabalhista aprovada na terça-feira (11) pelo Senado.

O veto a alguns pontos da reforma e a edição de medida provisória para regulamentar outros trechos polêmicos faria parte de um acordo entre o governo e sua base para que o projeto não sofresse alteração e, com isso, não voltasse para a Câmara dos Deputados.

Paim disse que jamais acreditou nesse acordo e afirmou que a traição ocorreu dentro da própria base governista. Ele ainda lamentou que Rodrigo Maia tenha feito tal declaração apenas nesta quarta-feira (12), depois da votação, e não antes.

- Eu quero ver como é que eles vão se entender agora. Tem um presidente no exercício do cargo, querendo ou não, e tem outro que já está assumindo o lugar do presidente e dizendo: 'Acabou, não tem acordo'. Qual é o presidente que vale? É o atual ou o que pensa que vai assumir daqui a quinze dias? - indagou Paim.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Compartilhe nas redes sociais: