Sindicalistas reafirmam que reforma da Previdência é desnecessária Notícia postada em 14.06.2017

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Previdência ouviu nesta semana representantes de centrais, confederações, federações e sindicatos de trabalhadores. Os sindicalistas foram unânimes em afirmar que a reforma previdenciária proposta pelo governo federal é desnecessária.

 

O presidente da CPI, senador Paulo Paim (PT-RS) foi enfático ao apontar que a reforma só beneficiará os bancos e o setor financeiro, e ainda destacou que ‘o objetivo é privatizar a Previdência’. “Isso é um crime contra a vida de milhões trabalhadores”, disse.

 

Outra questão levantada pelo senador gaúcho, é que a Previdência Social é superavitária e não possui déficit como defende o governo.

 

Um levantamento do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho aponta que somente em 2015, mais de R$ 46 bilhões em contribuições previdenciárias dos empregados não foram pagos pelas empresas à União.

 

“É justamente aí que a CPI vem deflagrando várias e várias ações para mostrar à sociedade brasileira que ela é viável”, afirma Paim.

 

A CPI já ouviu as maiores empresas devedoras da Previdência Social, como os setores de frigoríficos, inclusive a JBS, empresa que deve cerca de 2,8 bilhões à União, além das instituições de ensino.  Em breve, a Comissão deve ouvir os principais bancos do setor público e privado que devem ao INSS. 

Compartilhe nas redes sociais: