Para Paim, chacinas no Pará alertam para ausência do Estado Notícia postada em 12.06.2017
Vídeo

O senador Paulo Paim (PT-RS) afirmou nesta segunda-feira (12) que chacinas contra trabalhadores rurais no Pará aconteceram devido à ausência do Estado. “O problema no Pará é a ausência do Estado. E o pior é que o Estado opta pelo lado mais forte”, lamentou.

 

A audiência pública foi realizada a pedido do senador Paulo Rocha (PT-PA), com o requerimento de autoria do Senador Paulo Paim. Rocha lamentou o retrocesso do país em vários setores e relembrou outras tragédias ocorridas em terras paraenses, como o massacre de Eldorado do Carajás, há 21 anos.

   

A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) aprovou pedido às autoridades federais e paraenses para proteção de testemunhas e rapidez na conclusão das investigações relativas a uma ação policial que terminou com dez mortes de trabalhadores rurais em 24 de maio, na Fazenda Santa Lúcia, no sudoeste do Pará.

 

A comissão também demonstrou apoio à criação de uma ouvidoria agrária nacional de atuação independente.

 

O ator Osmar Prado, que representou na audiência o Movimento Humanos Direitos (MHuD), disse que a tragédia ocorrida no Pará foi tão grosseira que os envolvidos nem estão mais preocupados em se esconder. “O ser humano de origem pobre não vale mais nada”, disse.

 

Investigação

O secretário-adjunto de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Pará, Rogério Luz Moraes, ressaltou que os policiais foram à fazenda cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão e não para uma ação de reintegração de posse, como parte da imprensa noticiou. Segundo ele, os mandados foram expedidos pela Justiça a partir de um inquérito iniciado semanas antes após a morte de um segurança particular da propriedade. Ele informou que está sendo investigada também a maneira como os corpos foram devolvidos aos familiares, bem como uma possível alteração na cena do crime.

 

Já o secretário nacional de Justiça do Ministério da Justiça, Astério Pereira dos Santos, esclareceu que Polícia Federal está atuando no caso e até já identificou irregularidades na empresa responsável pela segurança na fazenda.

 

Com informações da Agência Senado 

Compartilhe nas redes sociais: