Paulo Paim afirma que reforma trabalhista pode reduzir direitos adquiridos Notícia postada em 08.02.2017

Em discurso nesta quarta-feira (8), o senador Paulo Paim (PT-RS) afirmou que a reforma trabalhista em análise na Câmara dos Deputados pode trazer prejuízo aos empregados, caso as negociações coletivas das categorias prevaleçam sobre o que já está previsto legalmente na CLT, por exemplo.

Essa situação, conforme Paim, é muito ruim para os trabalhadores, ainda mais em um período de desemprego em alta. O senador lembrou que as leis trabalhistas foram implantadas no governo de Getúlio Vargas e têm sido aprimoradas desde então.

— Se imperar essa tese do negociado sobre o legislado, o que vale é a força de quem tem o poder. No caso, o empregador. O empregado concorda com aquilo que ele quer, abrindo mão de direitos. Ou ele não é empregado ou é demitido.

Outras bases da reforma que tramita na Câmara, segundo o senador do PT, são a terceirização de mão-de-obra e a redução da idade mínima para a pessoa começar a trabalhar. A Constituição determina que ninguém pode ser admitido ao trabalho antes de 14 anos.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Compartilhe nas redes sociais: