Goiânia reforça luta pelos trabalhadores Notícia postada em 12.08.2016
Com o auditório da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás lotado, o senador Paulo Paim (PT/RS) presidiu nesta sexta-feira, 12, audiência pública contra a redução dos direitos trabalhistas e previdenciários.
Paim lembrou que a população está cada vez mais assustada com os ataques aos seus direitos básicos. Ele cobrou mais mobilizações dos brasileiros contra o fim de direitos sociais, trabalhistas e previdenciários por parte do governo interino. 
“Não podemos deixar que o governo interino faça o que quer. Já acabaram com o Ministério da Previdência e estão cortando as aposentadorias por invalidez e os auxílios-doença. Isso em apenas três meses. Estamos presenciando apenas o início do precipício, a situação tende a piorar em muito. É inaceitável! ” 
O senador ressaltou que há outros embates no Congresso Nacional, como o negociado sobre o legislado, legalização de trabalho escravo e terceirização. Segundo o Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar) há 65 projetos que vão de encontro às conquistas sociais garantidas na Constituição.
“Precisamos estar unidos para combater este movimento conservador que assola o país. O movimento social precisa ir às ruas para defender suas conquistas”, alertou o senador.
Em março, a capital goiana foi a última cidade a receber o senador na vigília nacional contra a terceirização. Eles apresentaram uma carta nacional repudiando a proposta. Para Paim, o Senado precisa ser sensível à visão dos trabalhadores de não admitir a terceirização da atividade-fim. “Não é assim que teremos melhores indicadores de competitividade, emprego e renda. Precisamos garantir aos 13 milhões de terceirizados os mesmos direitos que hoje os trabalhadores contratados pela CLT possuem”.
O debate foi organizado pela Comissão de Direitos Humanos do Senado e a Frente Parlamentar Mista em Defesa da Previdência em parceria com a Assembleia Legislativa do Estado de Goiás.

Compartilhe nas redes sociais: